Sexta, 12 Maio 2017 20:18

Botânica

Postado por
Avalie este item
(2 votos)

Botânica é um trabalho de arte sonora para jardins. Participantes do público, juntamente com guia, usam fones de ouvido e levam uma pasta de ombro tecnologizada para explorar uma composição sonora imersiva sobreposta na paisagem. Os sons escutados são em grande parte confeccionados da natureza e envolvem gravações de áudio do cerrado do centro-oeste brasileiro. Enquanto os participantes percorrem o jardim, seus movimentos são acompanhados por GPS e isso lhes permite ouvir uma variedade de sons mapeados para diferentes locais. As paisagens sonoras encontradas no caminho são tri-dimensionais e um aparelho de head-tracking nos fones de ouvidos facilita uma imersão interativa responsiva aos movimentos mais finos do ouvinte. Os sons podem ser fixos no espaço, agindo como balizas, ou podem seguir sua própria trajetória através do jardim. Os fones de ouvidos são de um tipo aberto, permitindo que os sons naturais do meio ambiente se misturam com os da sobreposição.

Botânica é apresentado como uma fantasia sonora. É inspirado pela paisagem, a biosfera e os elementos e é devolvido ao ambiente de forma a ser explorado em um cenário específico, o jardim, outra fantasia de e para a natureza. É uma composição sonora organizada no espaço em vez do tempo e, como tal, interage diretamente com o meio ambiente e com a presença humana.

Desde o início dos anos 90, o artista sonoro Iain Mott (UK / AU) tem sido envolvido no mapeamento espacial do som em vários contextos. Seu trabalho de 1998 Sound Mapping feito com o engenheiro Jim Sosnin e designer Marc Raszewski é particularmente relevante para o projeto atual. Entre as primeiras obras de arte a utilizar GPS, Sound Mapping foi selecionado para exposição no prestigioso Prix Ars Electronica do mesmo ano em Linz, Áustria. Radicado no Brasil há uma década, ele é colaborador regular com a atriz Simone Reis e atualmente professor adjunto na área de voz e sonoplastica no Departamento de Artes Cênicas da Universidade de Brasília. Botanica é um resultado de sua pesquisa no campo de ambisonics (uma forma um surround sound desenvolvido pela primeira vez no Reino Unido na década de 1970) e especificamente o projeto Cerrado Ambisônica que envolve o uso de gravações de campo ambisônicas do cerrado em contextos teatrais. Seu software de open source, Mosca (uma classe de extensão ambisonic para a linguagem de música SuperCollider), foi criado na pesquisa e vai formar a base técnica da Botânica.

Projeto apoiado pelo MCTI/CNPq no Edital Universal Nº 14/2013.

Lido 428 vezes Última modificação em Sábado, 24 Outubro 2020 13:03
Mais nesta categoria: « Escuta.org A Telefonista »

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Artigos Novos e Notícias

  • A Telefonista
    A Telefonista A Telefonista é uma performance processual autobiográfica e instalação sonora, de autoria da performer Simone Reis e do artista sonoro e de instalação Iain Mott. Reis dialoga, em cena, com…
  • Nova versão de Mosca em breve
    Uma nova versão do software Mosca será lançada em breve implementando trabalho de Thibaud Keller. O lançamento trazerá novas bibliotécas ambisônicas além de suporte para VBAP, suporte de OSC e…
  • Tutorial de Vídeo de Mosca
    Tutorial on using the GUI interface of the Mosca quark for SuperCollider. Please listen with headphones and please view in full-screen mode.
  • Mostra Última Foto de Celular Android
    Mostra Última Foto de Celular Android Shell script de Bash e outras configurações para baixar e mostrar a última foto tirada num celular Android. O script está executado num computador e comunica com o Android através…
  • Summoned Voices
    Summoned Voices Summoned Voices acts as a living memory of people and place. It consists of a series of door installations each with an intercom, sound system and a computer that is…
  • Botânica
    Botânica Botânica é um trabalho de arte sonora para jardins. Participantes do público, juntamente com guia, usam fones de ouvido e levam uma pasta de ombro tecnologizada para explorar uma composição…
  • Simone Reis tira UnB da zona de conforto com teatro inquieto
    Simone Reis tira UnB da zona de conforto com teatro inquieto Simone Reis tira UnB da zona de conforto com teatro inquieto. Artigo de Sérgio Maggio no jornal Metrópoles.